A experiência parental após o diagnóstico da microcefalia por Zika Vírus

  • Pamela Scarlatt Duraes Oliveira Universidade Estadual de Montes Claros
  • Aline Pereira Melo
  • Thais Gonçalves Laughton
  • Joyce Micaelle Alves
  • Patricia Sousa Fernandes Queiroz
  • Raynara Laurinda Nascimento Nunes
Palavras-chave: Anormalidades Congênitas. Microcefalia. Vírus Zika. Pai.

Resumo

Objetivo: o  objetivo   do   presente   estudo   foi  identificar as experiências e percepções dos pais e cuidadores do sexo masculino de crianças com sequelas da Síndrome Congênita do Zika. Metodologia: estudo qualitativo, realizado no município de Montes Claros com pais do sexo masculino, que tem filhos com alguma sequela do zika vírus. A coleta de dados foi realizada no primeiro semestre de 2020, nos períodos entre os meses de fevereiro e março e as entrevistas seguiram o roteiro de questões norteadoras e foram gravadas por um gravador eletrônico. Resultados: no primeiro momento, ao receber a noticia do diagnóstico, os pais passam por sentimentos de tristeza e angústia, entretanto buscam entender melhor a condição do filho e buscam priorizar a qualidade de vida deles. Conclusão: portanto, mesmo com todas as dificuldades encontradas na rotina de famílias com membros com microcefalia, os pais sempre procuram terapêuticas que auxiliem na melhora dos filhos para proporcionar o melhor cuidado para os mesmos.

Publicado
2021-01-13
Como Citar
1.
Oliveira PS, Melo A, Laughton T, Alves J, Fernandes Queiroz P, Nunes RL. A experiência parental após o diagnóstico da microcefalia por Zika Vírus. REAID [Internet]. 13jan.2021 [citado 19jan.2021];95(33):e-21004. Available from: http://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/833
Seção
ARTIGO ORIGINAL