DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS: PERCEPÇÃO DE FAMILIARES QUE OPTARAM PELA NÃO DOAÇÃO

  • Luana Pereira Borges Faculdade Maurício de Nassau/Bacharel em Enfermagem
  • Thaís Soares Brito Faculdade Maurício de Nassau/Bacharel em Enfermagem
  • Flávia Danielli Martins Lima Faculdade Maurício de Nassau/ Docente do curso Bacharelado em Enfermagem https://orcid.org/0000-0003-1603-0952
  • Juliana Nunes Lacerda Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH)/Enfermeira Assistencial https://orcid.org/0000-0003-2706-9772
  • Letícia Lacerda Marques Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH)/Enfermeira Assistencial https://orcid.org/0000-0001-6348-8232
  • Mayara Cedrim Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS)/ Doutoranda em Pesquisa Clínica
  • Ítalo Arão Pereira Ribeiro Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí (PPGEnf/UFPI)/Doutorando em Enfermagem https://orcid.org/0000-0003-0778-1447
Palavras-chave: Obtenção de Tecidos e Órgãos; Família; Percepção; Recusa de participação; Enfermagem.

Resumo

Objetivo: conhecer a percepção de familiares de potenciais doadores de órgãos e tecidos que optaram pela não doação. Método: pesquisa de natureza descritivo-exploratória, de abordagem qualitativa, guiada por um roteiro de entrevista semiestruturada e que utilizou a análise de conteúdo proposta por Bardin. Foram entrevistados 08 participantes que recusaram a doação de órgãos e tecidos, após o diagnóstico de morte encefálica de um familiar. Resultados: Emergiram sete categorias: assistência ao paciente e seus familiares; desconhecimento sobre o processo de doação de órgãos; dificuldades em compreender a morte encefálica; respeitar o desejo do paciente manifestado em vida; demora na liberação do corpo; medo da mutilação do corpo; e manifestação contrária por parte de um membro familiar. Considerações finais: Assim, sugere-se a implantação de novas estratégias e ações que fortaleçam as políticas públicas voltadas para conscientização popular, a fim de evitar os elevados índices de recusas familiares no momento da decisão de doar.

 

Publicado
2021-04-30
Como Citar
1.
Borges L, Brito T, Lima F, Lacerda J, Marques L, Santos M, Ribeiro Ítalo A. DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS: PERCEPÇÃO DE FAMILIARES QUE OPTARAM PELA NÃO DOAÇÃO. REAID [Internet]. 30abr.2021 [citado 16maio2021];95(34):e-21064. Available from: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1083
Seção
ARTIGO ORIGINAL