CUIDADO AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS EM MULHERES PRIVADAS DE LIBERDADE: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2021-v.95-n.36-art.1138

Palavras-chave:

mulheres, prisões, doença sexualmente transmissível, prevenção de doenças, vulnerabilidade em saúde

Resumo

Objetivo: identificar as ações de promoção, prevenção e tratamento de infecções sexualmente transmissíveis oferecidas às mulheres privadas de liberdade no Brasil. Método: revisão integrativa realizada nas bases de dados da CINAHL, LILACS, PubMed e Web of Science, com análise dos resultados segundo o referencial de vulnerabilidade. Resultados: foram incluídos dois estudos que abordavam o tema proposto. Identificadas para as ações de promoção a educação em saúde e aconselhamento pré e pós teste diagnóstico; para as ações de prevenção a oferta de serviços e insumos; e em tratamento a disponibilização de medicamentos. Conclusão: evidenciou-se que as ações referidas oportunizaram a redução das vulnerabilidades dessas mulheres às infecções, por meio da educação em saúde e de acesso aos cuidados de saúde. Destarte, é condição sine qua non repensar as estratégias para efetividade das ações previstas nas políticas públicas voltadas a essa população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Guimarães do Nascimento, Universidade de Brasília

Graduada em enfermagem pela UnB

Beatriz Costa Araújo, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ)

Residente em atenção básica (enfermagem)

Paulo Henrique Fernandes dos Santos, Universidade de Brasília

Departamento de Enfermagem

Lucas Cardoso dos Santos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Doutorando 

Juliane Andrade, Universidade de Brasília

Departamento de Enfermagem

Publicado

18-11-2021

Como Citar

1.
do Nascimento BG, Araújo BC, dos Santos PHF, dos Santos LC, Andrade J. CUIDADO AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS EM MULHERES PRIVADAS DE LIBERDADE: REVISÃO INTEGRATIVA. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 18º de novembro de 2021 [citado 1º de outubro de 2022];95(36):e-021166. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1138

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO