As repercussões das condições crônicas de saúde na família

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2021-v.95-n.35-art.1162

Palavras-chave:

Doença Crônica, Família, Relações Familiares, Enfermagem Familiar, Equipe de Assistência ao Paciente

Resumo

A transição demográfica e epidemiológica no Brasil tem demonstrado uma redução no quantitativo de condições agudas de saúde e elevação nas condições crônicas. Essas, em sua maioria, são imprevisíveis, apresentam progressão lenta, multicausalidade e potencial para perda funcional com o decorrer do tempo. Nossas vivências e experiências, enquanto enfermeiras, docentes e pesquisadoras, corroboram para o entendimento de que as condições crônicas de saúde têm repercussões na família. Essa perspectiva vai ao encontro da compreensão de família como um sistema, formado por subsistemas individuais, correspondentes aos seus membros e, por um suprassistema, representado pelas relações de amizade,  de trabalho e demais componentes da sociedade com os quais interagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Sodré Simon, Universidade Federal do Pampa

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Campus Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil. Vice-Líder do Núcleo de Estudos em Família e Cronicidade (NEFAC/UNIPAMPA). Membro do Grupo de Pesquisa Cuidado, Saúde e Enfermagem - Núcleo de Estudos em Cuidado e Família (NECFAM/Universidade Federal de Santa Maria).

Raquel Pötter Garcia, Universidade Federal do Pampa

Enfermeira. Doutora em Ciências. Docente do Curso de Enfermagem da UNIPAMPA, Campus Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil. Líder do NEFAC/UNIPAMPA.

Publicado

30-06-2021

Como Citar

1.
Simon BS, Garcia RP. As repercussões das condições crônicas de saúde na família. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 30º de junho de 2021 [citado 10º de agosto de 2022];95(35):e-021095. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1162