ASPIRADO versus BIÓPSIA PARA O DIAGNÓSTICO DE FERIDAS INFECTADAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2022-v.96-n.38-art.1335

Palavras-chave:

Cuidado de enfermagem; Análise microbiológica de ferida; Biópsia; Infecção de feridas;

Resumo

Objetivo: Analisar a eficácia de diferentes métodos de coleta para análise microbiológica no diagnóstico de infecção em lesões de pele. Método: Abordagem quantitativa, descritivo, através do método de investigação clínica comparativa, realizado em um Hospital Universitário, a amostra foi composta por 8 pacientes, para realização das culturas, duas amostras foram coletadas de cada ferida, uma amostra pela técnica de biópsia e a outra por aspirado. Resultados: Foram realizadas 16 coletas de material de feridas para cultura, sendo 8 aspirados e 8 biópsias, a comparação ocorreu entre os diferentes métodos de coleta, uma amostra apresentou resultado negativo para microrganismos em ambas as técnicas de coleta, nas demais foram isolados 25 microrganismos, sendo 21 Gram Negativo e 4 Gram Positivo, destes, 14 foram identificados pela técnica de biópsia, houve diferença quanto a presença e o tipo de microrganismo em duas coletas. Conclusão: Pode-se concluir que o método mais eficaz de coleta para cultura e análise microbiológica no diagnóstico de infecção em lesões de pele e que se mostrou mais sensível na identificação de microrganismo foi à biópsia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-04-22

Como Citar

1.
Tokarski J, Alves DC, Gioppo N, Santos RP dos, Brandt SB, Lordani TVA. ASPIRADO versus BIÓPSIA PARA O DIAGNÓSTICO DE FERIDAS INFECTADAS. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 22º de abril de 2022 [citado 16º de maio de 2022];96(38):e-021227. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1335

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL