ENFERMAGEM NO USO DO LASER DE BAIXA POTÊNCIA COMO COADJUVANTE NO TRATAMENTO DE FERIDA VENOSA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2022-v.96-n.39-art.1408

Palavras-chave:

Cuidados de enfermagem, Técnicas de fechamento de ferida, Cicatrização, Estomaterapia

Resumo

Objetivo: Demonstrar os efeitos da lesarterapia de baixa potência como coadjuvante na assistência de enfermagem no tratamento de paciente com ferida vascular. Método: Trata-se de um estudo de caso de abordagem qualitativa, desenvolvido no Ambulatório de Enfermagem em Estomaterapia da URCA. A coleta de dados ocorreu nos meses de setembro e outubro de 2021 através do prontuário, registros de enfermagem e relato/opinião de enfermeiros generalistas e especialistas em estomaterapia. Após os dados coletados, forma descritos de forma transparente através do histórico de paciente, imagens da evolução da ferida e quadro contendo informações dos registros. Resultados: Paciente J.B.M. 66 anos, hipertenso, diabético, pesando 56 kg, com estatura de 1,69 m, IMC: 19,67, com histórico de AVC, problemas vasculares, tem amputação de membro inferior direito, e lesão de cunho venoso em membro inferior esquerdo em região tibial. Recebeu cuidados de enfermagem para cicatrização da ferida e melhora do estado de saúde, e como coadjuvante ao tratamento, utilizou-se o laser de baixa potência. Considerações finais: O uso do laser de baixa potência como coadjuvante no tratamento da ferida vascular se mostrou eficiente e trouxe bons resultados durante todo o tratamento. Este estudo também mostra a importância do enfermeiro no uso de novas tecnologias para o tratamento de ferida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Neyze Martins Fernandes , Universidade Regional do Cariri- URCA

Mestre em Enfermagem e Enfermeira pela Universidade Regional do Cariri- URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: neyzemartins4@gmail.com

Luis Rafael Leite Sampaio, Universidade Regional do Cariri-URCA

Doutor em Farmacologia, Enfermeiro Estomaterapeuta – TiSOBEST, docente do departamento de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri-URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: rafale.sampaio@urca.br

Maria do Socorro Vieira Lopes, Universidade Regional do Cariri-URCA

Doutora em Enfermagem, docente do departamento de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri-URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: socorro.lopes@urca.br

Kenya Waléria de Siqueira Coelho Lisboa, Universidade Regional do Cariri-URCA

Doutora em Enfermagem, docente do departamento de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri-URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: kenya.lisboa@urca.br

Thais Rodrigues de Albuquerque, Universidade Regional do Cariri- URCA

Mestre em Enfermagem e Enfermeira pela Universidade Regional do Cariri- URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: thaysrodrigues_albuquerque@hotmail.com

Natannael da Silva Pereira, Universidade Regional do Cariri-URCA

Acadêmico de Enfermagem na Universidade Regional do Cariri-URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: natannael.silva@urca.br

Luana de Souza Alves, Universidade Regional do Cariri-URCA

Acadêmica de Enfermagem na Universidade Regional do Cariri-URCA, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: luana.souza@urca.br 

Publicado

12-09-2022

Como Citar

1.
Reis Macedo LF, Fernandes MNM, Sampaio LRL, Lopes M do SV, Coelho Lisboa KW de S, Albuquerque TR de, Natannael da Silva Pereira, Luana de Souza Alves. ENFERMAGEM NO USO DO LASER DE BAIXA POTÊNCIA COMO COADJUVANTE NO TRATAMENTO DE FERIDA VENOSA. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 12º de setembro de 2022 [citado 29º de setembro de 2022];96(39):e-021295. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1408

Edição

Seção

ESTUDO DE CASO