FATORES RELACIONADOS À NOTIFICAÇÃO DE MORTE ENCEFÁLICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2023-v.97-n.4-art.1620

Palavras-chave:

Morte Encefálica; Família; Lesões Encefálicas Traumáticas; Obtenção de tecidos e Órgãos.

Resumo

Objetivo: Analisar os fatores relacionados à notificação de ME. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, realizado em um hospital filantrópico da Zona Norte do estado do Ceará. A coleta de dados ocorreu através dos prontuários de pacientes que evoluíram para ME. As variáveis analisadas foram: dados sociodemográficos dos pacientes em ME, entrevista familiar, motivo da negativa e tecidos doados. A coleta de dados aconteceu no período de maio a junho de 2018.   Resultados: Foram analisados 126 prontuários. Houve um predomínio de atendimentos de pacientes do gênero masculino (69,8%), solteiro (80,2%) com uma faixa etária média 32 anos. A causa da ME principal foi o TCE (52%). Notou-se a realização da entrevista familiar em 100% dos prontuários analisados, sendo os pais o grau de parentesco predominante (56,3%). A recusa familiar se apresentou em 60,4% dos prontuários, destacando os motivos: (63,8%) dos familiares desejam corpo integro. Em todos os 35 (100%) doadores, foram captados para transplantes os rins, fígado e córneas. Considerações finais: Evidenciou-se uma necessidade do desenvolvimento de um processo educativo baseado em campanhas de conscientização, incentivando à população a discutir com sua família acerca da decisão da doação de órgão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Monteiro ET, Albuquerque SP, Melo RD. Doação de órgãos e tecidos em hospital público de Pernambuco. Rev Bioética. 2020;28(1):69-75. doi: https://doi.org/10.1590/1983-80422020281368 DOI: https://doi.org/10.1590/1983-80422020281368

Moura KD, Fernandes FE, Lira GG, Fonseca EO, Melo RA. Prevalência e fatores associados ao diagnóstico de morte encefálica. Rev Enferma UFSM. 2021;11:e39. doi: https://doi.org/10.5902/2179769253157 DOI: https://doi.org/10.5902/2179769253157

Gois RS, Galdino MJ, Pissinati PD, Pimentel RR, Carvalho MD, Haddad MD. Efetividade do processo de doação de órgãos para transplantes. Acta Paul Enferm. 2017;30(6):621-7. doi: https://doi.org/10.1590/1982-0194201700089 DOI: https://doi.org/10.1590/1982-0194201700089

Conselho Federal de Medicina (BR). Resolução CFM nº 2173, de 23 de novembro de 2017. Define os critérios do diagnóstico de morte encefálica [Internet]. Brasília-DF: CFM; 2017. [citado 2022 Out 22]. Disponível em: https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/resolucoes/BR/2017/2173

Westphal GA, Veiga VC, Franke CA. Diagnosis of brain death in Brazil. Revi Bras Terapia Intensiva. 2019;31(3). doi: https://doi.org/10.5935/0103-507x.20190050 DOI: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20190050

Chehuen NJA, Ferreira RE, Assad IM, Santos IA, Santos JL, Paula LC, et al. Update of the diagnostic criteria of brain death: application and training of physicians. Rev Bras Terapia Intensiva. 2019;31(3). doi: https://doi.org/10.5935/0103-507x.20190055 DOI: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20190055

Knihs ND, Magalhães AL, Santos J, Wolter ID, Paim SM. Organ and tissue donation: use of quality tool for process optimization. Escola Anna Nery. 2019;23(4). doi: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2019-0084 DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2019-0084

Gama DM, Corcini LM, Schimith MD, Badke MR, Jantsch LB, Palha PF, et al. Doação de órgãos e tecidos para transplantes em interface com a formação do enfermeiro. Ver Eletrônica Acervo Saúde. 2022;15(11):e11137. doi: https://doi.org/10.25248/reas.e11137.2022 DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e11137.2022

Eira CS, Barros MI, Albuquerque AM. Organ donation: the reality of an intensive care unit in Portugal. Rev Bras Terapia Intensiva. 2018;30(2). doi: https://doi.org/10.5935/0103-507x.20180040 DOI: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20180040

Tolfo F, Camponogara S, López MJ, Siqueira HC, Scarton J, Beck CL. A inserção do enfermeiro em comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos. Enfermería Global. 2018;17(2):185-223. doi: https://doi.org/10.6018/eglobal.17.2.289461 DOI: https://doi.org/10.6018/eglobal.17.2.289461

Ferraz SP, Soares SA, Batista WK, Alencar SM, Furtado BM. Caracterização das vítimas de traumatismo encefálico que evoluíram para morte encefálica. Rev Cuidarte. 2018;9(3):1-12. doi: https://doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.565 DOI: https://doi.org/10.15649/cuidarte.v9i3.565

Bertasi RA, Bertasi TG, Reigada CP, Ricetto E, Bonfim KD, Santos LA, et al. Perfil dos potenciais doadores de órgãos e fatores relacionados à doação e a não doação de órgãos de uma Organização de Procura de Órgãos. Ver Colégio Bras Cirurgiões. 2019;46(3). doi: https://doi.org/10.1590/0100-6991e-201922180 DOI: https://doi.org/10.1590/0100-6991e-201922180

Rodrigues SD, Boin ID, Zambelli HJ, Sardinha LA, Ataíde EC, Fernandes ME. Fatores relacionados à não autorização da doação de órgãos e tecidos junto a familiares que recusaram a doação. Braz J Transplantation. 2021;24(4):10-8. doi: https://doi.org/10.53855/bjt.v24i4.429 DOI: https://doi.org/10.53855/bjt.v24i4.429

Andrade FR, Antunes JL. Tendência do número de vítimas em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras antes e depois da Década de Ação pela Segurança no Trânsito. Cad Saúde Pública [Internet]. 2019 [citado 22 out 2022];35(8). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00250218 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00250218

Lemos FH, Pinto IM, Santa RLP. Políticas públicas de redução dos acidentes de trânsito: análise multivariada na BR-101 em Alagoas. Rev Políticas Públicas. 2019;23(1):191. doi: https://doi.org/10.18764/2178-2865.v23n1p191-211 DOI: https://doi.org/10.18764/2178-2865.v23n1p191-211

Lima F, Macena RH, Mota RM. Acidentes Automobilísticos no Brasil em 2017: estudo ecológico dos anos de vida perdidos por incapacidade. Saúde em Debate. 2019;43(123):1159-67. doi: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912314 DOI: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912314

Marinho CL, Conceição AI, Leite AM, Santana JR, Fernandes FE. Cenário da doação de órgãos em uma macrorregional de Pernambuco. Rev Baiana Enferm. 2019;33. doi: https://doi.org/10.18471/rbe.v33.33664 DOI: https://doi.org/10.18471/rbe.v33.33664

Fernandes de OF, Honorato AK, Santos GL. Fragilidades e vivências de enfermeiros na abordagem a famí¬lia do doador de órgãos e tecidos. Rev Nursing. 2021;24(280):6157-68. doi: https://doi.org/10.36489/nursing.2021v24i280p6157-6168 DOI: https://doi.org/10.36489/nursing.2021v24i280p6157-6168

Rodrigues AL, Silva ER, Costa FD, Salvático GV, Figueiroa JD, Moraes LB, et al. Doação de órgãos: o posicionamento familiar em relação aos aspectos da doação. Braz J Development. 2020;6(11):91832-50. doi: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-552 DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-552

Giudice JZ, Zillmer JG, Cordeiro FR. Entre(laçar) para governar: estratégias biopolíticas em campanhas publicitárias para doação de órgãos e tecidos. Texto & Contexto Enferm. 2022;31. doi: https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2021-0422pt DOI: https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2021-0422en

Silva AL, Silva MN, Santana RD, Ribeiro ÍA, Rocha MO, Cunha DC, et al. Visão dos enfermeiros sobre suas atribuições no setor de organização de procura de órgãos. Res Society Development. 2020;9(8):e879986613. doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.6613 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i8.6613

Furtado LB, Moraes Filho IM, Sousa TV, Roure JG, Lima TP, et al. O papel do enfermeiro frente a casos de morte encefálica e doação de órgãos e tecidos. Res Society Development. 2021;10(2):e0110212422. doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12422 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i2.12422

De Figueiredo JAM, Lopes FP, De Jesus LM, Santa BGV, De Sousa GF, et al. Ensino do processo de doação de órgãos e tecidos para transplante na graduação em enfermagem: uma revisão bibliográfica. Rev Eletrônica Acervo Enferm. 2020;3:e2932. doi: https://doi.org/10.25248/reaenf.e2932.2020 DOI: https://doi.org/10.25248/reaenf.e2932.2020

Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. Dados numéricos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição no período: janeiro/dezembro 2011 [Internet]. RBT Registro Brasileiro de Transplantes [2011 [citado 2022 Dez 22];17(4):1-16. Disponível https://doi.org/10.31011/reaid-2021-v.95-n.34-art.1083

Borges LP, Brito TS, Lima FD, Lacerda JN, Marques LL, Santos MC, et al. Doação de órgãos e tecidos: percepção de familiares que optaram pela não doação. Rev Enferm Atual In Derme. 2021;95(34). doi: https://doi.org/10.31011/reaid-2021-v.95-n.34-art.1083 DOI: https://doi.org/10.31011/reaid-2021-v.95-n.34-art.1083

Publicado

25-10-2023

Como Citar

1.
Conceição Lima Paiva M, Cordeiro Eloia S, Lima Paiva A, Geisa Silva Martiniano F, Andréia Ximenes Matos M, Correia Timbó E, Rodrigues Soares Passos M, Fontenele Vasconcelos A. FATORES RELACIONADOS À NOTIFICAÇÃO DE MORTE ENCEFÁLICA. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 25º de outubro de 2023 [citado 15º de julho de 2024];97(4):e023200. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1620

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL