PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM CÂNCER EM TRATAMENTO EM UMA UNIDADE DE ALTA COMPLEXIDADE ONCOLÓGICA NO INTERIOR DO MARANHÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2024-v.98-n.3-art.1971

Palavras-chave:

Perfil epidemiológico, Sobreviventes de Câncer Infantil, Serviço Hospitalar de Oncologia

Resumo

O objetivo deste estudo foi conhecer o perfil clínico e epidemiológico de crianças e adolescentes em tratamento oncológico em uma unidade de alta complexidade oncológica (UNACON) no interior do Maranhão. Trata-se de estudo descritivo, retrospectivo, com dados dos prontuários eletrônicos de crianças e adolescentes acompanhados no período de 2019 a 2022. Foram excluídos prontuários com informações incompletas. Este estudo foi aprovado por comitê de ética em pesquisa através do CAAE: 51438821.9.0000.5554 e número de parecer: 5.013.948. A amostra foi composta por 90 prontuários de crianças e adolescentes atendidos no local do estudo. O perfil epidemiológico das crianças e adolescentes predominou o sexo masculino (55,5%), raça parda (80%), faixa etária de 0 a 5 anos de idade (40,1%), procedentes de outras cidades (75,6%) e em sua maioria (76,7%) eram acompanhados pelas mães durante o tratamento. O perfil clínico apontou que as leucemias (37,7%) foram as mais prevalentes, onde a maioria necessitou de internação (92,2%) e como desfecho, observou que a maioria continuava em tratamento oncológico (43,3%). Dentre os tumores sólidos, a grande maioria não apresentava metástase (72,2%) ao diagnóstico, e o principal tratamento realizado foi a quimioterapia associada a cirurgia (52%).  Observa-se que no referido serviço as leucemias são o principal tipo de câncer, assim como descrito na literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Teresa Albuquerque, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

graduação em Medicina pelo Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos- ITPAC, no ano de 2013. Residência médica em Pediatria pelo Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- UFMS (2014-2016). Possui TEP - Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Médica Brasileira (2017). Residência médica em Oncologia Pediátrica pelo Hospital ITACI (Instituto do Tratamento do Câncer Infantil), da Universidade de São Paulo - USP (2016-2018). Atualmente, professora do magistério superior pela Universidade Federal do Tocantins - campus Araguaína e responsável técnica pelo serviço de oncologia pediátrica do Hospital São Rafael, em Imperatriz/MA

Referências

Oliveira LS. Câncer infantil: o impacto do diagnóstico para a criança e familiares. Rev Ibero Am Humanidades Cienc Educ [Internet]. 31 Maio 2021 [citado 3 Jul 2024];7(5):635-44. Disponível em: https://doi.org/10.51891/rease.v7i5.1223

Rodríguez-Mansilla J, González-Sánchez B, Torres-Piles S, Martín JG, Jiménez-Palomares M, Bellino MN. Effects of the application of therapeutic massage in children with cancer: a systematic review. Rev Lat Am Enferm [Internet]. 2017 [citado 3 Jul 2024];25. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1518-8345.1774.2903

Lima BD, Silva LF, Góes FG, Ribeiro MT, Alves LL. O itinerário terapêutico de famílias de crianças com câncer: dificuldades encontradas neste percurso. Rev Gauch Enferm [Internet]. 22 out 2018 [citado 3 Jul 2024];39. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.20180004

Kinsey SE, Picton SV. Childhood cancer in high resource settings. Cancer Epidemiology [Internet]. Abr 2021 [citado 3 Jul 2024];71:101838. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.canep.2020.101838

Fernandes LM, Souza AM. Significados do câncer infantil: a morte se ocupando da vida na infância. Psicol Em Estud [Internet]. 16 maio 2019 [citado 3 jul 2024];24. Disponível em: https://doi.org/10.4025/psicolestud.v24i0.39521

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro-RJ; 2019 [citado 2024 Jul 03]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf

Braam KI, van der Torre P, Takken T, Veening MA, van Dulmen-den Broeder E, Kaspers GJ. Physical exercise training interventions for children and young adults during and after treatment for childhood cancer. Cochrane Database Syst Rev [Internet]. 31 mar 2016 [citado 2024 Jul 03]. Disponível em: https://doi.org/10.1002/14651858.cd008796.pub3

Weaver L, Samkari A. Neurological Complications of Childhood Cancer. Semin Pediatr Neurol [Internet]. Fev 2017 [citado 3 Jul 2024];24(1):60-9. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.spen.2016.12.005

Longo BC, Popiolek IM, Vale NG, Rangel AL, Souza MD. Estudo Epidemiológico do Câncer Infantojuvenil no Hospital de Câncer de Cascavel Uopeccan entre os Anos 2000 e 2014. Rev Bras Cancerol [Internet]. 29 jul 2021 [citado 2024 Jul 03];67(3). Disponível em: https://doi.org/10.32635/2176-9745.rbc.2021v67n3.1224

Oliveira AB, Madeira AS, Paz DA. Aspectos da difusão de covid-19 na região geográfica imediata de Imperatriz, Maranhão, Brasil. Cad Geogr [Internet]. 22 Jan 2021 [citado 3 jul 2024];31(64):170. Disponível em: https://doi.org/10.5752/p.2318-2962.2021v31n64p170

Mutti CF, Cruz VG, Santos LF, Araújo DD, Cogo SB, Neves ET. Perfil Clínico-epidemiológico de Crianças e Adolescentes com Câncer em um Serviço de Oncologia. Rev Bras Cancerol [Internet]. 28 set 2018 [citado 3 Jul 2024];64(3):293-300. Disponível em: https://doi.org/10.32635/2176-9745.rbc.2018v64n3.26

De Arruda EF. Câncer infantojuvenil: perfil dos pacientes atendidos na unidade de alta complexidade em oncologia (UNACON) em Rio Branco – ACRE, Brasil, no ano de 2017. Arq Cienc Saude UNIPAR [Internet]. 5 Maio 2020 [citado 3 Jul 2024];24(1). Disponível em: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v24i1.2020.6898

Souza JRF, Pietrafesa PA. A nova indústria do sudoeste maranhense: impactos socioeconômicos na cidade de Imperatriz-MA. Desenvolvimento Regional em Debate [Internet]. 2019 [citado 3 Jul 2024]; 9(1):143-55. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/5708/570864621010/html/

Oliveira JM, Reis JB, Da Silva RA. Busca por cuidado oncológico: percepção de pacientes e familiares. Rev Enferm UFPE Line [Internet]. 4 abr 2018 [citado 3 Jul 2024];12(4):938. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i4a231359p938-946-2018

Suhail Y, Cain MP, Vanaja K, Kurywchak PA, Levchenko A, Kalluri R, Kshitiz. Systems Biology of Cancer Metastasis. Cell Syst [Internet]. Ago 2019 [citado 3 Jul 2024];9(2):109-27. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.cels.2019.07.003

Diniz AB, Regis CD, Brito NP, Conceição LS, Moreira LM. Perfil epidemiológico do câncer infantil em população atendida por uma unidade de oncologia pediátrica em Salvador-Bahia. Rev Cienc Medicas Biol [Internet]. 6 jul 2005 [citado 3 Jul 2024];4(2). Disponível em: https://doi.org/10.9771/cmbio.v4i2.4185

Marino L. Perfil epidemiológico das neoplasias malignas na unidade de alta complexidade em oncologia pediátrica do sul do maranhão [Monografia]. Universidade Federal do Maranhão, 2019. [citado 3 Jul 2024] Disponível em: https://monografias.ufma.br/jspui/bitstream/123456789/5214/1/LAENADEBRITOMARINO.pdf

Gonçalves JP, Batista LR, Carvalho LM, Oliveira MP, Moreira KS, Leite MT. Prontuário Eletrônico: uma ferramenta que pode contribuir para a integração das Redes de Atenção à Saúde. Saúde Debate [Internet]. Mar 2013 [citado 3 Jul 2024];37(96):43-50. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0103-11042013000100006

Carvalho CA, Pinho JRO, Garcia PT. Epidemiologia: conceitos e aplicabilidade no Sistema Único de Saúde. 1ª ed: São Luís: EDUFMA; 2017.

Publicado

08-07-2024

Como Citar

1.
Blascovich HB, Ramon da Silva Bonfim L, Alves Brito C, Cunha Feuerstein S, Teresa Albuquerque M, Nogueira de Castro G, José de Oliveira Moreira R. PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM CÂNCER EM TRATAMENTO EM UMA UNIDADE DE ALTA COMPLEXIDADE ONCOLÓGICA NO INTERIOR DO MARANHÃO. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 8º de julho de 2024 [citado 15º de julho de 2024];98(3). Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/1971

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL