PREVALÊNCIA PONTUAL DE LESÃO POR FRICÇÃO E FATORES ASSOCIADOS EM PACIENTES CLÍNICOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31011/reaid-2024-v.98-n.2-art.2088

Palavras-chave:

Estomaterapia, Fricção, Ferimentos e lesões, Idoso, Cuidados de Enfermagem

Resumo

Introdução: as lesões por fricção são definidas como feridas traumáticas resultantes de fricção, contusão ou cisalhamento da pele. Estes agravos são comuns em idosos, apresentando potencial de tornarem-se feridas de difícil cicatrização. A epidemiologia destas ainda não é totalmente esclarecida, desta forma, estudos com esta finalidade são pertinentes.  Objetivo: identificar a prevalência pontual de lesão por fricção, bem como, os fatores associados a este agravo, em pacientes internados em um hospital universitário público da Região Centro-Oeste do Brasil. Método: estudo transversal, de prevalência pontual, realizado em junho de 2022. Desenvolvido com 23 pacientes internados no setor de Clínica Médica, de um hospital vinculado ao Sistema Único de Saúde. Destes, 7 foram identificados em risco para o desenvolvimento de lesão por fricção. Os dados foram coletados através de exame físico da pele e das informações presentes nos prontuários. Para análise dos dados, utilizou-se estatística descritiva simples, com cálculo de médias e percentuais. Resultados: a idade média encontrada dos pacientes internados foi de 52,3 anos, sendo a maioria dos pacientes do sexo masculino (52,1%). A prevalência pontual de lesão por fricção encontrada foi de 57,2%, sendo comum nos pacientes comorbidades, assim como, alterações nutricionais. Conclusão: a prevalência encontrada foi elevada. Identificou-se que as condutas e intervenções para a prevenção e tratamento destas lesões não estavam adequadas. Estes achados denotam a necessidade de ações educativas sobre o tema. Novos estudos semelhantes podem contribuir para o aumento na visibilidade e construção de documentos e políticas públicas relacionados ao tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Pinheiro RV, Salomé GM, Miranda FD, Alves JR, Reis FA, Mendonça AR. Algoritmos para prevenção e tratamento de lesão por fricção. Acta Paulista de Enfermagem [Online]. 2021 [acessado 2022 Out 05];34:eAPE03012. Disponível em: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO03012. DOI: https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AO03012

LeBlanc K, Campbell KE, Wood E, Beeckman D. Best practice recommendations for prevention and management of skin tears in aged skin: an overview. J Wound Ostomy Continence Nurs [Online]. 2018 [acessado em 08 out. 2022];45(6):540-542. Disponível em: 10.1097/WON.0000000000000481.

LeBlanc K, Langemo D, Woo K, Campos HMH, Santos V, Holloway S. Skin tears: prevention and management. Br J Community Nurs [Online]. 2019 [acessado 2022 Out 12];24(Sup9):S12-S18. Disponível em: 10.12968/bjcn.2019.24.Sup9.S12. DOI: https://doi.org/10.12968/bjcn.2019.24.Sup9.S12

Rayner R, Carville K, Leslie G, Dhaliwal SS. A risk model for the prediction of skin tears in aged care residents: A prospective cohort study. Int Wound J [Online]. 2019 [acessado 2022 Out 12];16(1):52-63. Disponível em: 10.1111/iwj.12985. DOI: https://doi.org/10.1111/iwj.12985

Pulido KCS, Santos VLCG, Carville K. Adaptação cultural, validade de conteúdo e confiabilidade interobservadores do “STAR Skin Tear Classification System”. Rev. Latino-Am. Enferm [Online]. 2022 [acessado 2022 Out 12];23(1):155-61. Disponível em: 10.1590/0104-1169.3523.2537.

Silva CVB, Campanili TCGF, LeBlanc K, Baranoski S, Santos VLCG. Adaptação cultural e validade de conteúdo do ISTAP Skin Tear Classification para o português no Brasil. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther [Online]. 2018 [acessado 2022 Out 12];16:e2618. Disponível em: 10.30886/estima.v16.590_PT. DOI: https://doi.org/10.30886/estima.v16.590_PT

Carville K, Lewin G, Newall N, Haslehurst P, Michael R, Santamaria N, Roberts P. STAR: a consensus for skin tear classification. Primary Intention. 2007;15(1):18-28.

Torres FS, Blanes L, Galvão TF, Ferreira LM. Development of a manual for the prevention and treatment of skin tears. Wounds [Online]. 2019 [acessado 2022 Ago 10];31(1):26-32.

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). Resolução n° 358/2009. Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem. Brasília (DF); 2009.

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). Resolução n° 0567/2018. Regulamenta a atuação da Equipe de Enfermagem no Cuidado aos pacientes com feridas. Brasília (DF); 2018.

LeBlanc K, Campbell KE, Dunk AM, Harley C, Hevia H, et al. ISTAP Best practice recommendations for the prevention and management of skin tears in aged skin. Wounds Inter [Online]. 2018 [acessado 2022 Ago 10]. Disponível em: https://www.woundsinternational.com/resources/details/istap-best-practice-recommendations-prevention-and-management-skin-tears-aged-skin. DOI: https://doi.org/10.1097/WON.0000000000000481

Kaçmaz HY, Karadağ A, Kahraman H, Döner A, Ödek Ö, Akın S. The prevalence and factors associated with skin tears in hospitalized older adults: A point prevalence study. J Tissue Viability [Online]. 2022 [acessado 2022 Ago 10];31(3):387-394. Disponível em: 10.1016/j.jtv.2022.06.001. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jtv.2022.06.001

Bonita R, Beaglehole R, Kjellström T. Epidemiologia Básica. 2ª ed. São Paulo: Santos Editora; 2010.

Urbanetto JS et al. Morse Fall Scale: tradução e adaptação transcultural para a língua portuguesa. Rev Esc Enferm USP [Online]. 2013 [acessado 2022 Ago 10];47(3):569-575. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-623420130000300007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-623420130000300007

Serpa LF et al. Predictive validity of the Braden scale for pressure ulcer risk in critical care patients. Rev Latino-Americana Enferm [Online]. 2011 [acessado 2022 Ago 10];19(1):50-57. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-11692011000100008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-11692011000100008

Vieira CPB, Ferreira PC, Araújo TME, Junior Silva FJG, Galiza FT, Rodrigues ASO. Prevalência de lesões por fricção e fatores associados em idosos em terapia intensiva. Texto Contexto Enferm [Online]. 2020 [acessado 2022 Ago 10];29:e20180515. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0515. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2018-0515

Idensohn P, Beeckman D, Santos VLCG, Campos HH, Langemo D, LeBlanc K, Gloeckner M, Woo K, Holloway S. Ten top tips: skin tears. Wounds Intern [Online]. 2019 [acessado 2024 Maio 06]; 10(2):10-14. Disponível em: https://woundsinternational.com/journal-articles/ten-top-tips-skin-tears/.

Souza LM, Teixeira GS, Silva DM, Ruiz LS, Coppola IS, Meirelles LCS. Prevalence of skin tears in hospitalized adults and older adults. Rev Esc Enferm USP [Online]. 2021 [acessado 2024 Maio 06];55:e03683. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1980- 220X2019025103683. DOI: https://doi.org/10.1590/s1980-220x2019025103683

Munro EL, Hickling DF, Williams DM, Bell JJ. Malnutrition is independently associated with skin tears in hospital inpatient setting-Findings of a 6-year point prevalence audit. Int Wound J [Online]. 2018 [acessado 2024 Maio 06];15(4):527-533. Disponível em: 10.1111/iwj.12893. DOI: https://doi.org/10.1111/iwj.12893

Tiggelen HV, Beeckman D. Skin tears anno 2022: An update on definition, epidemiology, classification, aetiology, prevention and treatment. J Wound Management [Online]. 2022 [acessado 2022 Nov 04];23(2):38-51. Disponível em: https://doi.org/10.35279/jowm2022.23.02.09. DOI: https://doi.org/10.35279/jowm2022.23.02.09

Spin M, Vocci MC, Sardeli KM, Serafim CTR, Velozo BC, Popim RC, Castro MCN. Lesão por fricção em idosos: revisão integrativa. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther [Online]. 2021 [acessado 2022 Nov 04];19:e0421. Disponível em: https://doi.org/10.30886/estima.v19.1002_PT. DOI: https://doi.org/10.30886/estima.v19.1002_PT

Fumarola S, Allaway R, Callaghan R, Collier M, Downie F, Geraghty J, Kiernan S, Spratt F.

Overlooked and underestimated: medical adhesive-related skin injuries. Best practice consensus document on prevention. J Wound Care [Online]. 2020 [acessado 2024 Maio 06]; 29(Suppl 3c):S1–S24. Disponível em: https://doi.org/10.12968/jowc.2020.29.Sup3c.S1. DOI: https://doi.org/10.12968/jowc.2020.29.Sup3c.S1

Publicado

10-05-2024

Como Citar

1.
Sokem JA dos SS, Barbosa AARB, Melo CBB de M, Gomes VESG, Maquilene Santiago Nogueira, Vieira AGV, Ferreira DNF, Bergamaschi FPRB. PREVALÊNCIA PONTUAL DE LESÃO POR FRICÇÃO E FATORES ASSOCIADOS EM PACIENTES CLÍNICOS. Rev. Enferm. Atual In Derme [Internet]. 10º de maio de 2024 [citado 27º de maio de 2024];98(2):e024320. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/2088

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL