Prevalência de parasitoses intestinais em crianças de uma escola pública municipal

Prevalence of intestinal parasitoses in children of a municipal public school

  • Francisco das Chagas Araújo Sousa Universidade Estadual do Piaui https://orcid.org/0000-0001-8086-2150
  • Halmisson Darley Santos Siqueira Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão - UniFacema
  • Francisléia Falcão França Santos Siqueira Universidade Estadual do Maranhão
  • Evaldo Hipolito de Oliveiira Universidade Federal do Piauí
  • Roseane Mara Cardoso Lima Verde Universidade Brasil
  • Raimundo Nonato Cardoso Miranda Junior UniFacema
  • Nathalia Martins Rodrigues de Sousa Miranda UniFacema
  • Luis Alberto de Sousa Rodrigues FACID/DEVRY
  • Wenderson Costa da Silva UniFacema
  • Lennara de Siqueira Coelho AESPI
  • Natalia M F Silva Maia AESPI
Palavras-chave: Doenças Parasitárias; Intestino; Criança.

Resumo

Objetivo: determinar a prevalência de parasitoses intestinais em crianças frequentadoras de uma escola pública municipal. Metodologia: tratou-se de um estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa. Realizou-se a aplicação de um questionário e coleta de amostras de fezes dos escolares para análise parasitológica. As análises estatísticas foram feitas por meio do software SPSS versão 18.0; e para verificar associação entre as variáveis foi utilizado o teste exato qui-quadrado de Pearson, considerando em todas as análises realizadas um nível de significância de 5%. Resultados: das 50 amostras analisadas, 48% estavam negativas e 52% positivas; havendo maior prevalência de protozoários, com destaque para os seguintes parasitos: Entamoeba coli (38%); Ascaris lumbricoides (31%); Endolimax nana (27%); e Giardia lamblia (12%). Entre os participantes do sexo masculino, 68,4% apresentaram positividade para parasitos; enquanto que, entre os do sexo feminino, essa positividade correspondeu a 41,9%. Verificou-se que entre as crianças que ingeriam água diretamente da torneira, 51,6% apresentaram algum tipo de parasito. Observou-se que 53,2% das crianças que apresentaram algum tipo de parasitose consumiam alimentos somente após serem lavados. Constatou-se, ainda, que a maior parte da amostra do estudo possuía renda familiar inferior a um salário mínimo e vivia em condições precárias de saneamento básico. Conclusão: Medidas de prevenção devem ser implementadas por profissionais da saúde, através de programas de controle e educação sanitária, visando orientar e conscientizar a população aqui estudada quanto aos males provocados pelas enteroparasitoses.

Biografia do Autor

Francisco das Chagas Araújo Sousa, Universidade Estadual do Piaui

Professor Adjunto do Centro de Ciências da Sa´ude no departamento de Medicina sendo responsável pela disciplina de Fisiologia.

Publicado
2019-12-22
Como Citar
1.
Sousa F das, Siqueira HD, Siqueira F, Oliveiira E, Lima Verde R, Miranda Junior R, Miranda N, Rodrigues L, Silva W, Coelho L de, Maia N. Prevalência de parasitoses intestinais em crianças de uma escola pública municipal. REAID [Internet]. 22dez.2019 [citado 30nov.2020];90(28). Available from: https://revistaenfermagematual.com/index.php/revista/article/view/515