Perfil clínico das pessoas com feridas atendidas pelo ambulatório de enfermagem em estomaterapia

Epidemiological profile of people with wounds attended by Nursing Ambulatory in Stomatherapy

  • Silvânia Miranda da Silva Universidade Regional do Cariri
  • Tays Pires Dantas Universidade Regional do Cariri
  • Natannael da Silva Pereira Universidade Regional do Cariri
  • Cicera Clareliz Gomes Alves Universidade Regional do Cariri
  • Francisca Clarisse de Sousa Universidade Regional do Cariri
  • Naftale Alves dos Santos Gadelha Universidade Regional do Cariri
  • Ana Maria Parente Garcia Alencar Universidade Regional do Cariri
  • Déborah Albuquerque Alves Moreira Universidade Regional do Cariri
  • Felipe Paulino da Silva Universidade Regional do Cariri
  • Gledson Micael da Silva Leite Universidade Regional do Cariri
  • Luis Rafael Leite Sampaio Universidade Regional do Cariri
Palavras-chave: Perfil de Saúde; Estomaterapia; Cuidados de Enfermagem.

Resumo

Objetivo: Conhecer o perfil epidemiológico das pessoas com feridas atendidas pelo ambulatório de Enfermagem em Estomaterapia.

Método: Estudo documental com abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada por meio da análise de 43 prontuários de saúde dos pacientes atendidos no ambulatório, no período de janeiro a março de 2019. O instrumento de coleta de dados foi adaptado da ficha original do serviço, com questões relacionadas aos aspectos epidemiológicos e clínicos. Os dados foram tabulados no Microsoft Excel 2013, analisados no software R e organizados em tabelas e gráficos. A pesquisa obedeceu aos princípios éticos da Resolução 466/2012, tendo sido aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa com parecer número 3.155.662.

Resultados: Predominaram participantes do sexo feminino (51,2%), faixa etária de 20 a 59 anos (60,4%), solteiros (62,8%), e 25,6% da amostra tinham ensino médio completo. A maioria possuía renda mensal de um salário mínimo (58,1%) e o Crato foi o município de origem predominante (39,5%). O fator de risco predominante foi o sedentarismo, e o Diabetes Mellitus a comorbidade mais frequente (14%). Os carbohidratos e as proteínas eram consumidos com frequência no café da manhã, almoço e jantar.

Conclusão: É importante serem desenvolvidos e ampliados novos estudos desta natureza, tendo em vista que o conhecimento do perfil do indivíduo acometido por uma lesão pode ser um aliado para uma prática com enfoque preventivo, e com tratamento direcionado individualmente.

Biografia do Autor

Silvânia Miranda da Silva, Universidade Regional do Cariri

Enfermeira residente em Saúde Coletiva

Tays Pires Dantas, Universidade Regional do Cariri

Acadêmica do curso de graduação em Enfermagem na Universidade Regional do Cariri (URCA), bolsista institucional do programa Ambulatório de Enfermagem em Estomaterapia.

Natannael da Silva Pereira, Universidade Regional do Cariri

Acadêmico do curso de graduação em Enfermagem na Universidade Regional do Cariri (URCA), bolsista institucional do programa Ambulatório de Enfermagem em Estomaterapia.

Cicera Clareliz Gomes Alves, Universidade Regional do Cariri

Acadêmica do curso de graduação em Enfermagem na Universidade Regional do Cariri (URCA), bolsista institucional

Francisca Clarisse de Sousa, Universidade Regional do Cariri

Acadêmica do curso de graduação em Enfermagem Universidade Regional do Cariri (URCA), bolsista institucional BPI- Funcap

Naftale Alves dos Santos Gadelha, Universidade Regional do Cariri

Docente do curso de graduação em Enfermagem Universidade Regional do Cariri (URCA), pós-graduanda em Estomaterapia.

Ana Maria Parente Garcia Alencar, Universidade Regional do Cariri

Docente do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri (URCA)

Déborah Albuquerque Alves Moreira, Universidade Regional do Cariri

Enfermeira emergencista no Hospital Regional do Cariri (HRC)

Felipe Paulino da Silva, Universidade Regional do Cariri

Acadêmico do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri (URCA)

Gledson Micael da Silva Leite, Universidade Regional do Cariri

Acadêmico do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri (URCA)

Publicado
2020-06-29
Como Citar
DA SILVA, S.; DANTAS, T.; PEREIRA, N.; ALVES, C. C.; DE SOUSA, F.; GADELHA, N. A.; ALENCAR, A. M.; MOREIRA, D.; DA SILVA, F.; LEITE, G. M.; SAMPAIO, L. R. Perfil clínico das pessoas com feridas atendidas pelo ambulatório de enfermagem em estomaterapia. Revista Enfermagem Atual In Derme, v. 92, n. 30, 29 jun. 2020.